Notícias

22/06/2022

Aula Maquete da sala

A ação para os alunos entenderem a linguagem cartográfica não consiste em colorir ou copiar contornos, mas em construir representações a partir do real próximo ou distante. Somente acompanhando e executando cada passo do processo pode-se familiarizar-se com a linguagem cartográfica. Tais atividades levam os alunos a ter e buscar generalizações, criar classificações, estabelecer categorias, selecionar informações, etc. Somente com tais atividades eles terão oportunidade de interagir com o espaço que está sendo codificado, desenvolvendo seu raciocínio lógico-espacial.

Com este intuito, as turmas do 2° ano, mediadas pelas professoras Suelen Cavalcante e Liliane da Silva, realizaram em sala a confecção de maquetes (da própria sala de aula).
Após, a construção das mesmas, os alunos estão mais preparados para compreender a representação bidimensional do espaço, ou seja, de uma planta baixa ou de um mapa.
Assim, eles passam a desenvolver códigos para representar o espaço, desvendando mecanismos e recursos, de acordo com o grau de abstração atingido.