Rio Claro / SP

(19) 2111-6015

Notícias

08/03/2018

Saiba mais sobre grandes mulheres como Anita Garibaldi, Cora Coralina, Maria da Penha...

A primeira “Sexta-Artística” de 2018 parabenizou todas as mulheres por seu dia e relembrou grandes mulheres da história. Realizada pelos 5ºs anos da Profª Patricia, trouxe nomes como Maria da Penha, irmã Dulce, Cora Coralina, Anita Garibaldi, irmã Dorothy e Maria Esther Bueno.

Saiba mais sobre elas:

Maria da Penha

Líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres e vítima de violência doméstica. Ficou paraplégica ao levar um tiro do marido enquanto dormia.

Seu nome virou lei em 2006, estabelecendo o aumento das punições às agressões contra a mulher e uma série de medidas para proteger a integridade física e psicológica de mulheres vítimas de violência.

 

Maria Rita de Souza Brito Lopes – irmã Dulce

Dedicou a vida a ajudar pessoas carentes. Sua aptidão e desejo para essas atividades surgiu desde pequena – aos 13 anos – quando transformou a casa dos pais, em Salvador, em um centro de atendimento aos necessitados, pobre e doentes.

Conhecida como “Anjo Bom da Bahia”, foi indicada ao Prêmio Nobel em 1988 e beatificada em 2011.

 

Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas – Cora Coralina

Só publicou o primeiro livro, Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais, aos 76 anos. Antes disso, criou quatro filhos trabalhando como doceira após a morte do marido. Não chegou a terminar o Ensino Fundamental.

 

Anita Garibaldi

Chamada de Heroína dos Dois Mundos pela participação em diversas batalhas tanto no Brasil quanto na Itália ao lado do marido, Giuseppe Garibaldi.

 

Dorothy Mae Stang – Irmã Dorothy

Freira norte-americana naturalizada brasileira. No cenário dos conflitos agrários no Brasil, seu nome associou-se aos de tantos outros homens, mulheres e crianças que morreram e que ainda morrem sem ter seus direitos respeitados.

Ingressou na vida religiosa em 1848.  Acompanhou com determinação e solidariedade a vida e luta dos trabalhadores do campo, principalmente Amazônia.

Foi diversas vezes ameaçada de morte.

Maria Esther Bueno – A bailarina do tênis

Considerada em 2000 a maior tenista das américas de todo o século 20. Sua história com o tênis começou com apenas três anos de idade. A carreira profissional começou em 1950, com 11 anos de idade. Aos 14 foi campeão brasileira juvenil. Com 18, conquistou o primeiro título mundial no Campeonato Orange Bowl, nos Estados Unidos.